quinta-feira, 29 de junho de 2017

V Colóquio de Diversidade Sexual – com Cleudo Gomes


O professor José Cleudo Gomes foi o convidado da turma de Jornalismo, Cidadania e Direitos Humanos do Curso de Jornalismo da Universidade Federal da Paraíba para o V Colóquio de Diversidade Sexual, ocorrido no dia 24 de novembro de 2016. Cleudo é mestre em Educação e especialista em Gestão Pública Municipal, ambas formações pela UFPB. A organização do colóquio foi de Cephas Castro, Gabriel Costa Dantas, Laianna Janu e Robson Martins.

VEJA O COLÓQUIO NA ÍNTEGRA

1- Diversidade sexual e a escola
Neste vídeo o professor discute as representações culturais associadas ao sujeito homossexual na sociedade e na escola. O professor afirma existir diversas sexualidades e que abordá-las no ambiente educacional é essencial para o fim do preconceito.



sexta-feira, 9 de junho de 2017

Espaço de combate à homofobia na Paraíba


Descrição para cegos: símbolo do espaço, formado pelo desenho de um camaleão listado com as cores do arco-íris. Está escrito: “Espaço LGBT, centro de referência dos direitos de LGBT e combate à homofobia da Paraíba”.

Por Allan Oliveira
 
Segundo a Delegacia de Combate a Crimes Homofóbicos, dezenas de LGBTs são agredidos, tanto fisicamente, quanto verbalmente todos os anos na Paraíba. Por isso, a Secretaria de Estado da Mulher e da Diversidade Humana da Paraíba decidiu criar em 2011 o Espaço LGBT, um centro de referência dos direitos de LGBT e combate à homofobia da Paraíba.

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Respeito X homofobia

Descrição para cegos: Guilherme Pinto, apresentador do vídeo aparece fazendo uma expressão de dúvida. Abaixo dele lê-se Homofobia.


O vídeo O Mimimi da Ignorância, apresentado por Guilherme Pinto discute como a ignorância e o conservadorismo estão diretamente relacionados à homofobia. No início há um relato sobre a agressão que um casal gay sofreu ao se beijar em público. Guilherme disserta sobre os motivos pelos quais os homofóbicos se sentem no direito de rejeitar os LGBTs. Assista aqui
(Allan Oliveira)

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Não aceito meu filho gay

Descrição para cegos: cartaz com duas mulheres rindo. O título do vídeo “Não aceito meu filho gay” cobre quase a metade da tela. Ao fundo está o cenário do canal das Bee, que é uma parede repleta de imagens aleatórias, incluindo a bandeira gay.

O canal das Bee é conhecido no movimento LGBT por tratar de vários aspectos da vida dos gays, lésbicas, bissexuais e trans. Neste vídeo, ele traz uma entrevista com duas mães de gays, que contam como foi o processo de aceitação dos filhos e o quão o apoio das famílias é importante para pessoas LGBTs enfrentarem o mundo. O vídeo é destinado, principalmente, a pais que não aceitam seus filhos, por isso o seu título. Assista aqui
(Allan Oliveira)

sábado, 3 de junho de 2017

#Representrans


Descrição para cegos: imagem mostra Renato Guimarães e Ayune Bezerra tendo como fundo a bandeira do movimento transexual, composta por cinco faixas horizontais nas seguintes cores, de cima para baixo: azul, rosa, branca, rosa, azul. No centro, está escrito: “#Representrans, um documentário de Laianna Janu”.

Um projeto multimidiático idealizado pela estudante de jornalismo da UFPB, Laianna Janu, que teve início aqui no blog Cidadania e Diversidade Sexual, ganhou a sua versão em vídeo. O documentário que conta a história de dois transexuais, Renato Guimarães e Ayune Bezerra têm a intenção de quebrar preconceitos e mostrar que os transexuais são tão homens e mulheres, quanto os cis. Assista ao documentário aqui.
 (Allan Oliveira)

quarta-feira, 3 de maio de 2017

Ser travesti numa cidade de 6 mil habitantes

Descrição para cegos: cartaz do filme Amanda e Monick. As protagonistas aparecem de frente uma para a outra. No centro do cartaz tem o título do curta junto de dois pares de sapatos femininos. Em cima do cartaz lê-se: “Porque o que vale em qualquer relacionamento é a felicidade.”


     O curta-metragem Amanda e Monick conta a vida de duas travestis que vivem em Barra de São Miguel, cidade do cariri paraibano que tem 6 mil habitantes. O filme, produzido pelo Departamento de Comunicação Social da UFCG e dirigido por André Da Costa Pinto, mostra como Amanda e Monick superam as dificuldades encontradas por travestis em uma cidade pequena e como elas estão mudando o pensamento das pessoas do local. Assista aqui.(Allan Oliveira)

segunda-feira, 1 de maio de 2017

Romance Gay lota teatros brasileiros

Descrição para cegos: cartaz de divulgação da peça. Os dois protagonistas aparecem rindo, simulando uma briga, em que um tenta enforcar o outro com uma chave de braço. À direita, tem o nome do espetáculo: “Enquanto Todos Dormem”; logo abaixo, o local de uma das apresentações: “Salvador, Teatro Jorge Amado” e, em seguida, as datas de apresentação: 29 e 30 de abril. Em seguida, vem a indicação classificativa da peça: “Não recomendada para menores de 16 anos”. 

Por Allan Oliveira

A peça Enquanto Todos Dormem, que começou a turnê 2017 no final de março, está quebrando tabus ao levar centenas de pessoas aos teatros brasileiros para assistir a um romance gay.
O que chama a atenção nela é a temática ainda incomum na dramaturgia brasileira. Uma peça que tem um único casal e ele é homossexual. Em tempos em que os teatros são lotados, principalmente, por shows de stand-up comedy, que as às vezes têm textos homofóbicos, o sucesso do novo romance gay mostra que a representatividade do público LGBT está aumentando.

sábado, 29 de abril de 2017

História de viado

Descrição para cegos: imagem dividida em 4 partes, em cada uma aparece um dos entrevistados do documentário. No canto superior esquerdo, um rapaz de mais ou menos 19 anos sentado na grama; no canto superior direito, um jovem de mais ou menos 28 anos sentado na grama do que aparenta ser um parque; no canto inferior esquerdo, um senhor por volta de 55 anos sentado em uma cadeira, em um pátio escolar; no canto inferior direito, homem por volta dos 40 anos, sentado em uma poltrona.

Aluno do curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina, Daniel Bonfim produziu um interessante documentário para a disciplina Grande Documentário em Vídeo. A produção História de Viado reúne histórias de vida de homossexuais e como eles descobriram sua sexualidade. Além disso, retrata as dificuldades de ser gay em uma sociedade homofóbica e as diferenças entre como é ser homossexual hoje e como foi ter sido gay décadas atrás. Assista ao documentário aqui. (Allan Oliveira)

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Eu gosto mesmo é das bixa, das que são afeminada!

Descrição para cegos: artista e militante TLGB MC Linn da Quebrada aparece de perfil na foto com fundo preto. Ela está usando um colar em formato de corrente e tem o rosto e o pescoço maquiados com purpurina.


Por Matheus Wendell

Bicha, travesti, periférica, preta. É assim que MC Linn da Quebrada se define. Palavras dotadas de excessiva carga negativa, na sua poesia ganham ressignificados, e são para ela sinônimos de empoderamento, força e desconstrução.
Linn faz parte de uma geração na música brasileira atual que tem unido arte e militância. E foi justamente o funk, gênero extremamente subestimado e deixado de lado pela crítica musical, que ela escolheu para narrar suas vivências e a de tantas outras que se identificam com ela. Vivências essas que são marginalizadas, que não se encontram nas novelas, séries, publicidade, nem na própria música. E quando retratadas, vêm em tom jocoso, de piada, escárnio.
A artista, tanto em suas letras quanto em sua postura política, vem para levantar a discussão sobre gênero, sexualidade e raça. Os papéis socialmente construídos em torno do masculino e do feminino, a supremacia do homem-hétero-branco-cisgênero, a segregação que acontece dentro do próprio meio LGBT.

terça-feira, 25 de abril de 2017

Homofobia institucionalizada na Rússia

Descrição para cegos: foto de Sergei Lavrov,
 Ministro das Relações Exteriores da Rússia.

Por Allan Oliveira

A sociedade russa já é reconhecidamente homofóbica, mas recentemente, um comunicado inusitado do Ministério da Relações Exteriores chamou a atenção do mundo. Sergei Lavrov, Ministro da pasta, emitiu um comunicado aos cidadãos pedindo que eles não tivessem atitudes homofóbicas fora da Rússia.
As diretrizes, segundo ele, servem para que turistas russos evitem confusões ao redor do mundo. No comunicado, o Ministro explica que existem países onde a Diversidade Sexual é abrangentemente respeitada, como França, Dinamarca, Canadá e Áustria. A recomendação aos russos é para que eles não ofendam os cidadãos desses países, devido às diferenças culturais.
Em contrapartida, países como a Inglaterra já avisaram aos seus cidadãos que quando viajarem para a Rússia, tenham cuidado, pois podem correr perigo caso sejam pessoas LGBT.

sábado, 15 de abril de 2017

MEL tem nova gestão

Descrição para cegos: imagem mostra a arte da carta programa da chapa vitoriosa para diretoria do MEL. Em destaque está o nome da chapa, “Resistência Lilás” e, abaixo, a frase “Resistir para não retroceder”. Acima do nome da chapa vê-se símbolo do MEL, que é um coração preenchido parcialmente com as cores do arco-íris. Passando por cima do símbolo, uma faixa com as cores do arco-íris vai do canto direito ao esquerdo da imagem. No canto superior esquerdo tem escrito: “Carta Programa”; e no canto inferior direito: Gestão 2017-2019 para o Movimento Espírito Lilás – MEL.

Por Allan Oliveira

A nova gestão do Movimento Espírito Lilás tomou posse no último dia 5. A partir de agora, essa nova equipe comandará o mais antigo grupo de militância LGBT da Paraíba. O coordenador da chapa vitoriosa, intitulada”Resistência Lilás”, é o professor Fernando Luiz Araújo Costa, e o vice-coordenador é o também professor Eduardo Henrique.
Entre as propostas da chapa vencedora estão os seguintes itens: